.ultimas baldadas

. O sortudo... e os amigos

. Olha só este Sortudo...

. Quando estamos com pressa...

.baldes antigos

. Dezembro 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Agosto 2008

.tags

. 2009

. 2010

. acordo ortográfico

. actualidade

. açúcar

. algarve

. alunos

. aniversario

. ano novo

. arcachon

. arquitectos

. arvore

. automoveis

. avatar

. bacalhau

. bancos

. beleza

. bicicleta

. blog

. brisa

. brisingr

. btt

. burgos

. cabos

. calças de ganga

. cão

. caricato

. carinhos

. carnaval

. casa

. cavaco silva

. cerveja

. cheiro

. chuva

. cinema

. combustiveis

. comida

. condução

. cortes salariais

. cozinha

. crise

. crueldade

. cultura

. decisão

. destaque

. dieta

. doutores

. economia

. edp

. educação

. ego

. elixir bucal

. engenharia

. enqudramente

. ensino

. escola

. europa

. europeias

. familia

. feira do livro

. férias

. festas

. filme

. final feliz

. foto

. funcionarios publicos

. furadouro

. gadjet

. galp

. global

. greve

. halloween

. ice age

. impostos

. indignação

. informatica

. inicio

. leituras

. lourdes

. manifestação

. natal

. neve

. noruega

. obras

. omoleta

. orgulho

. país

. patriotismo

. politica

. portugal

. presente

. professores

. re-inicio

. salário

. salario minimo

. sociedade

. sortudo

. telemovel

. varicela

. verão

. todas as tags

Sexta-feira, 10 de Julho de 2009
O sortudo... e os amigos

Lembram-se do canheco que falei aqui à tempos?

 

Bem, ele está muito melhor.

Ainda está fraco nas patas traseiras mas já se desloca e até já reclama por mimos... Deve ser das más influencias! Sim, porque o sortudo, um velhote, para além da companhia do negro, a mascote lá da pedreira, tem a companhia de um pequerrucho irrequieto a que deram guarida.

 

Que família engraçada! A sorte é que são todos cães, senão ia ser bonito...

 

Aqui ficam uma fotos...

 

O sortudo! Digam lá que não é um amor.

 

O negro! Não se deixem enganar pelo ar! Por detrás daqueles olhinhos está um espírito super divertido e traquinas...

 

E este é o caçula! Que não consegue parar quieto para a foto. É só brincadeira!

 

E aqui a família toda!

chapado por O homem das obras às 23:17
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Segunda-feira, 1 de Junho de 2009
Olha só este Sortudo...

 Ah!!! Existem momentos de sorte, e este cãozito que o diga. Esteve quase a ir para o canil, mas graças à atenção do C. acabou por ir para a nossa pedreira (podem ver o inicio da história aqui!). 

 

E não é que melhorou, até já se aguenta um pouquinho nas patas traseiras! Vamos a ver como se porta, mas para já está muito melhor.

 

E é tão querido e carinhoso... Vejam só a fotogenia deste bichinho...

 

 

Podem crer que vou continuar a publicar aqui a evolução dele...

 

sinto-me: Contentíssimo
tags: ,
chapado por O homem das obras às 12:47
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
Sábado, 30 de Maio de 2009
Quando estamos com pressa é que acontece disto

Existem dias que superam, em muito, os planos mais audazes que possamos ter traçado, e infelizmente, nem sempre pelos melhores motivos. Para mim, hoje, foi um desses dias!

 

Ao início da tarde, ia eu já atrasado para um compromisso, quando tenho que me desviar de um cãozito que estava deitado no meio da estrada. Não sei porque mas olhei pelo espelho e nesse momento o animal fez uma tentativa de se pôr sobre as patas traseiras tendo logo de seguida voltado a deitar-se. Achei aquilo estranho e resolvi voltar atrás para ver como estava o cão.

O pobre animal estava cheio de sede e calor, deitado sobre o betuminoso, debaixo do sol abrasador, sem se conseguir mexer. Fui ao carro buscar agua e tentei dar-lha pela mão, mas ele não bebeu. Voltei as costas a ver se conseguia descobrir alguma coisa que pudesse servir de recipiente e o animal estava a sorver o pouco de água que tinha caído no chão. Tanta pena que me deu o bicho!

Improvisei uma taça de uma garrafa que tinha vazia e dei-lhe a água que precisava. Bebeu rapidamente quase 1l. O cão era extremamente dócil e olhava-me com olhos que pareciam implorar por ajuda...

 

E eu que estava cheio de pressa! Como não o podia deixar ali no meio da estrada, peguei nele ao colo e levei-o para debaixo de uma sombra ali perto. Bebeu mais 1.5l de água e dei-lhe algumas bolachas que tinha comigo. Já mais calmo, deu para perceber que o bicho já era velhinho, que tinha coleira, sem identificação, e que era realmente um animal muito dócil.

 

Como já estava mesmo atrasado, deixei-o lá, com o objectivo de logo que estivesse livre ir lá vê-lo. Lembrei-me, no entanto, de um colega que estava por aqueles lados e que dentro em breve iria terminar o dia de trabalho. Pedi-lhe para passar pelo animal, deitar-lhe mais água e ver se estava tudo bem, quer dizer, estabilizado.

Esse colega ligou-me entretanto a dizer que estava tudo bem, e chegamos à conclusão que o pobre bicho teria tido algum tipo de "enfarte" canino e não podia ficar ali. Resolvemos então leva-lo para o canil municipal. Passado mais de uma hora telefona-me novamente esse colega a comunicar que não teve coragem para levar o cão para o canil e que acabou por o deixar na nossa pedreira, dentro de umas instalações que lá temos.

 

Já à uns tempos acolhemos lá um cachorro que apareceu esfomeado e a morrer, que agora é um grande e saudável brincalhão. E como amanhã e domingo alguém vai dar de comer aos animais não deverá haver problema.

 

Ao fim do dia, já tarde, passei pela pedreira, algo que não é normal, pois não é o meu sector, para ver como estava o nosso doente. Lá estava, a dormir sossegado. Acordou, abanou a cauda e tornou a deitar-se. É mesmo velhinho. Vamos ver como evolui o seu estado. Era bom que recuperasse! Se não recuperar temos que ver o que fazer, pois não pudemos deixá-lo naquele estado.

 

No meio de tudo isto, o que me irrita é pensar que o dono o pode ter abandonado, naquele lugar ermo, à sua sorte, sem água, sem comida e sem sombra. Que crueldade...

sinto-me:
chapado por O homem das obras às 09:29
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
.O Homem das Obras
.pesquisar
 
.Dezembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.subscrever feeds
.Onde vou chapar massa
Nos intas
Sopros de Mar
O pequeno grande viking
Pensamento Aberto
Sem Fru-Frus nem Gaitinhas
Kulcinskaia
Por cá...
Diário de uma dona de casa à beira de um colapso...
Ver para Crer!
Pronúncia do Norte