.ultimas baldadas

. O dia em que a neve foi à...

. Obras em casa II

. Obras em casa I

.baldes antigos

. Dezembro 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Agosto 2008

.tags

. 2009

. 2010

. acordo ortográfico

. actualidade

. açúcar

. algarve

. alunos

. aniversario

. ano novo

. arcachon

. arquitectos

. arvore

. automoveis

. avatar

. bacalhau

. bancos

. beleza

. bicicleta

. blog

. brisa

. brisingr

. btt

. burgos

. cabos

. calças de ganga

. cão

. caricato

. carinhos

. carnaval

. casa

. cavaco silva

. cerveja

. cheiro

. chuva

. cinema

. combustiveis

. comida

. condução

. cortes salariais

. cozinha

. crise

. crueldade

. cultura

. decisão

. destaque

. dieta

. doutores

. economia

. edp

. educação

. ego

. elixir bucal

. engenharia

. enqudramente

. ensino

. escola

. europa

. europeias

. familia

. feira do livro

. férias

. festas

. filme

. final feliz

. foto

. funcionarios publicos

. furadouro

. gadjet

. galp

. global

. greve

. halloween

. ice age

. impostos

. indignação

. informatica

. inicio

. leituras

. lourdes

. manifestação

. natal

. neve

. noruega

. obras

. omoleta

. orgulho

. país

. patriotismo

. politica

. portugal

. presente

. professores

. re-inicio

. salário

. salario minimo

. sociedade

. sortudo

. telemovel

. varicela

. verão

. todas as tags

Sexta-feira, 9 de Janeiro de 2009
O dia em que a neve foi à obra

Hoje foi um dia diferente...

 

Sai de casa à hora do costume. Estava frio, mas nada que fizesse lembrar a tão mencionada vaga de frio. O bolinhas tinha um pouco de gelo no vidro, o que para a altura do ano não é nada de anormal. Dirigi-me para Paredes, onde me aguardava a boleia que me levaria até Baião, bem lá para o interior, mesmo encostadinho à serra do Marão. Andava eu entretido lá pelas serras quando recebo uma mensagem de um familiar que estava para os lados de Braga e que lá estava a nevar…
Não tinha passado mais de 30 minutos, a “Mais Que Tudo” envia-me uma mensagem a dizer que no Porto (no Porto!) estava nevar… Mau! Eu que estava no sitio mais provável de cair alguma neve e lá nada! Eu que até gosto tanto de neve, estava a ser privado desse belo espectáculo!

 

Por volta das 11horas voltei para Paredes. Pelo caminho cruzei-me com alguns camiões vindos do IP4 que tinham a frente carregada de neve. Qual não é o meu espanto quando, na zona de Penafiel, começo a ver cair alguns flocos de neve. Beleza…

Cheguei a Paredes, à obra, e estavam todos abrigados. A neve continuava a cair e, mesmo sem haver grande acumulação no chão, passado algum tempo expostos começava-se a sentir o frio e humidade a penetrar nas roupas. O espectáculo era lindo, mas ansiava por mais. Dirigi-me então para um ponto mais alto do concelho. A queda de neve intensificava-se e o cenário era cada vez mais de sonho. Quando cheguei ao local parecia que estava noutro país, tal era a discrepância daquela paisagem. Algumas fotos e meti-me de novo no carro. Já não foi fácil sair de lá e o percurso para a cidade, que geralmente não demora mais de 5 minutos, demorei mais de 20, não pela falta de pressa mas porque a acumulação de neve a isso obrigava. Como tinha um almoço marcado para mais perto do Porto dirige-me para lá. Não fui pela auto-estrada com medo que esta fosse cortada devido à neve. Asneira!!! A transposição dos pontos mais alto da N15 estava muito complicada, tendo em alguns locais surgido gelo, o que dificultava muito a progressão dos automóveis. No local onde almocei, que não distava mais que 5 quilómetros do sítio em as condições estavam piores, não nevava e ninguém se acreditou no que eu relatei. Almoçamos e voltamos ao trabalho. Passado um pouco liga-me um dos colegas a dizer que estava preso na neve, exactamente no sitio que assinalei como muito difícil (toma que é para a próxima acreditares em mim!)… As condições estavam cada vez piores e acabei por terminar o dia de trabalho mais cedo e mandar o pessoal embora. O percurso para casa foi quase todo acompanhado pela neve, embora o pavimento estivesse razoavelmente circulável. A auto-estrada A4 estava fechada o que obrigou a fazer o (penoso) percurso pela estrada nacional, de resto correu tudo bem. Pior estiveram as carrinhas de transporte do pessoal, que ficaram muito tempo retidas na neve.

 

Bem, ficam aqui uma fotos, tiradas com o telemóvel…

 

A obra debaixo de neve...

 

O bolinha em processo de congelação. A quebra do para-choques não foi hoje!

 

A estrada que descia para Paredes. Compreende-se a demora...

 

Bonito mas perigoso...

sinto-me:
chapado por O homem das obras às 15:44
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
Terça-feira, 11 de Novembro de 2008
Obras em casa II

 Quando recebemos a notícia da vinda do pintor, apesar do avançado da hora, tratamos logo de deslocar os móveis para o centro das divisões e cobri-los com lençóis velhos. Nos três dias em que o pintor cá andou, a nossa vida foi virada do acesso! A "mais que tudo" teve que fazer da cozinha o escritório. À noite, se queríamos ver alguma TV, tínhamos que deslocar o sofá, descobri-lo, ligar o cabo de alimentação do televisor e o da antena, e só depois é que nos podíamos sentar, com a agravante de no fim ter de repor tudo. Pior era chegar ao quarto e ter a cama no centro da divisão. Muito estranho!


Pronto! Já sei que foram só três dias, mas agora sei o que custa ter a casa em obras...

 

"Toma que é para aprenderes!"

sinto-me: Estranho
tags: ,
chapado por O homem das obras às 23:10
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Domingo, 9 de Novembro de 2008
Obras em casa I

Pois é! O homem das obras tem a sua própria casa em obras...

 

Para alguém cuja profissão passa, exactamente, pela execução de obras, este advento deveria ser simples de ultrapassar. Pois! Devia, mas não é... O primeiro a aparecer foi o trolha, que veio para reparar as fissuras (fissuras? Com aquela largura eram mesmo rachadelas!). Tudo bem! Fez um pouco de pó e alguns pedaços de revestimento voaram para locais inicialmente insuspeitos de serem "bombardeados".
- Calma, são obras! - Pensei. Ainda que eu não seja maníaco pelas limpezas, aquela confusão toda fez-me uma certa confusão na "caixa dos parafusos". Assim, mesmo sabendo que o pintor faria muito mais pó, tratamos da limpeza, aproveitando até para fazer algumas mudanças na decoração. A casa estava muito melhor...
No dia seguinte (importa dizer que era um domingo), telefona-me o construtor, a horas tardias, a avisar que o pintor vem no dia seguinte. Que caraças! Eu já sabia que, mais dia menos dia, ele vinha, mas tinha que ser mesmo no dia após a nossa grande limpeza?

sinto-me: Aborrecido
tags: ,
chapado por O homem das obras às 22:17
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
.O Homem das Obras
.pesquisar
 
.Dezembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.subscrever feeds
.Onde vou chapar massa
Nos intas
Sopros de Mar
O pequeno grande viking
Pensamento Aberto
Sem Fru-Frus nem Gaitinhas
Kulcinskaia
Por cá...
Diário de uma dona de casa à beira de um colapso...
Ver para Crer!
Pronúncia do Norte